Total de visualizações de página

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

ECONOMIA

China garante que a dívida pública está sob controle


PEKÍN, China, 30 Jan 2012 (AFP) -A dívida pública da China está sob controle, garantiu o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, citado nesta segunda-feira pela imprensa oficial.

"No atual estado das coisas, nossa dívida pública está em conjunto segura e sob controle", declarou Wen, citado pelo Diário do Povo, órgão do Partido Comunista.

"Tratamos com grande atenção a questão da gestão da dívida pública local. Graças ao saneamentos e das regulações, subjugamos com eficiência a tendência dos investimentos (públicos) à inflação", explciou o chefe de governo.

Na China, o Estado central está pouco endividado, mas as províncias e municípios pedem créditos para construir estradas, aeroportos e hospitais, e muitos são insolventes, segundo os analistas.

PELO MUNDO

EUA aprovam novo medicamento para tratar câncer de pele

Remédio foi liberado para uso em tumores locais e espalhados pelo corpo.
Droga possui efeitos colaterais como perda de cabelo e de peso.

Da France Presse

As autoridades norte-americanas aprovaram nesta segunda-feira um novo medicamento para tratar a forma mais comum de câncer de pele (carcinoma de células basais), que não costuma ser letal, mas pode se expandir se não for tratado.
O novo medicamento, Erivedge (vismodegib), é fabricado pelo laboratório Genetech, filial americana da gigante farmacêutica suíça Roche e foi aprovado pela autoridade sanitária dos Estados Unidos (FDA).

Este medicamento é o primeiro efetivo em pacientes cujo carcinoma se expandiu tanto localmente quanto para outras partes do corpo, ou inclusive ter feito metástase.
Um teste com 96 pacientes mostrou que 30% das pessoas com metástase mostraram uma remissão parcial depois de usar o medicamento, uma pílula ingerida uma vez por dia. Entre os pacientes cujo câncer tinha se expandido localmente, 43% tiveram remissão total ou parcial das lesões.
"O medicamento é para pacientes com carcinomas de células basais avançados a nível local, mas que não são candidatos para cirurgia ou radioterapia e para pacientes cujo câncer se expandiu para outras partes do corpo", disse a FDA.
Os efeitos colaterais desta droga incluem espasmos, perda de cabelo, perda de peso, náuseas, diarreia, fadiga, distorção do paladar, vômitos, constipação e perda do gosto na língua.
Anualmente são diagnosticados nos Estados Unidos mais de um milhão de novos casos de carcinomas de células basais, porém menos de 1.000 são fatais, segundo o Instituto Nacional do Câncer local.

ESTÁ NO G1 - By Nathalia Passarinho

Justiça aceitará cartões para pagamento de dívidas trabalhistas

Projeto-piloto em Belém (PA) será testado por seis meses.
Objetivo é tornar mais ágil execução de decisões e acordos judiciais.

O Conselho Nacional de Justiça firmou nesta segunda-feira (30) termo de cooperação técnica para o uso de cartões de crédito e débito no pagamento de dívidas trabalhistas. O objetivo é tornar mais eficiente o processo de execução das decisões e acordos judiciais, com o rápido repasse dos recursos.
Atualmente, após acordo entre as partes ou decisão condenatória, o pagamento da dívida é feito de forma "manual", através de depósitos bancários, o que torna lenta a transferência do dinheiro.
De acordo com o CNJ, com o uso do cartão de débito, a liberação do recurso é imediata e, no caso do cartão de crédito, será em 30 dias. O arquivamento do processo será feito imediatamente após a impressão dos recibos de pagamento.

Segundo a corregedora-nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, qualquer cartão de crédito ou débito poderá ser utilizado, inclusive cartões corporativos. O dinheiro vai para uma conta judicial virtual do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal, conforme escolha do credor, que poderá retirar o dinheiro apresentando identidade em uma agência bancária ou lotérica. Ele não precisa ser correntista do banco onde o dinheiro será depositado.
Eliana Calmon destacou que, mesmo que parcelada a dívida, o credor passará a receber o dinheiro do banco e caberá à instituição financeira cobrar o pagamento do devedor. "Agora o credor sabe que vai receber o dinheiro, porque ele vai receber do banco e o banco é que vai cobrar do devedor", afirmou.
De acordo com a ministra, atualmente a execução de uma decisão trabalhista pode durar até dois anos, devido à burocracia e o congestionamento dos processos. "Esse programa dará significativa modernidade à Justiça, dada a dificuldade na execução do julgado."

Projeto-piloto
Com a assinatura do termo de cooperação, será implantado um projeto-piloto em uma das varas do trabalho de Belém (PA), para que o sistema seja testado e aprimorado durante seis meses.
"Vamos implementar, no prazo máximo de seis meses, um projeto-piloto para termos os resultados imediatos. O objetivo a médio prazo é distribuir o sistema para outras varas do trabalho da 8ª Região (Pará). Vamos começar a fazer na 8ª Região e estender para outras na medida que o sistema for solicitado", afirmou a corregedora-nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon.
Nas transações, os bancos deverão cobrar taxas proporcionais ao valor da dívida. Segundo a ministra, as instituições financeiras que cobrarem percentuais elevados para a utilização do cartão serão dispensadas. Ela defendeu a cobrança de taxa de 1% do valor da dívida.
Se a dívida for paga de forma parcelada e o devedor tiver dificuldades em quitá-la no cartão utilizado, ele poderá renegociar o valor ou utilizar outro cartão.
De acordo com Eliana Calmon, as corregedorias dos tribunais brasileiros precisam "se unir" para reduzir a "burocracia" e o "excesso de processos". "Unindo as corregedorias podemos ter taxa de congestionamento muito menor. As corregedorias hoje estão trabalhando como ilhas isoladas. Não podemos", disse.
Além da ministra Eliana Calmon, participam da assinatura do termo de cooperação o corregedor-geral da Justiça do Trabalho, ministro Antônio José de Barros Levenhagen, o presidente do Colégio de Presidentes e Corregedores da Justiça do Trabalho (Coleprecor), desembargador Renato Buratto, o presidente do TRT da 8ª Região (PA), desembargador José Maria Quadros de Alencar; o presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda, e o vice-presidente de Negócios de Varejo do Banco do Brasil, Alexandre Corrêa Abreu.

PELO MUNDO - By Yahoo

Arábia Saudita deportará cristãos etíopes que rezavam juntos


Cairo, 30 jan (EFE).- As autoridades sauditas planejam deportar 35 cristãos etíopes que foram detidos por "reunião ilícita" em dezembro do ano passado na cidade de Jidá quando participavam de uma cerimônia de oração privada, denunciou nesta segunda-feira a organização Human Rights Watch (HRW).
Em comunicado, a HRW também acusou a polícia saudita de submeter a revistas íntimas 29 mulheres que faziam parte do grupo que foi detido.
Os etíopes tinham se reunido para rezar no dia 15 de dezembro, período do Advento Cristão, na casa de um deles, quando a polícia invadiu o local e os deteve, segundo três dos detidos a HRW.
"Enquanto o rei Abdullah bin Abdelaziz (da Arábia Saudita) monta um centro de diálogo inter-religioso, sua polícia pisoteia os direitos dos crentes de outras religiões", disse o investigador da HRW Christoph Wilcke no comunicado.
Wikcke acrescentou que o Governo saudita "deve mudar suas formas intolerantes antes de promover o diálogo entre religiões no exterior".
Em outubro, Arábia Saudita, Espanha e Áustria assinaram em Viena a criação de um centro internacional para o diálogo inter-religioso, que pretende ser um instrumento para a prevenção e solução de conflitos.
O financiamento será em grande parte da Arábia Saudita, através da criação de um fundo para que o centro seja politicamente independente, e Riad cobrirá qualquer falta de recursos financeiros, se necessário.
A entidade, que contará com o Vaticano como observador, terá um diretório de nove membros que representarão às cinco principais religiões do mundo, o cristianismo - através da igrejas católica, ortodoxa e anglicana -, o islã com um representante sunita, um xiita e outro wahhabista - o judaísmo, o hinduísmo e o budismo. EFE

RI FAZ BEM. ESTÁ NO JORNAL O POVO - By Clayton


sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

PELO BRASIL

Sobe para 7 o número de mortos em desabamentos no Rio


Sobe para 7 o número de mortos em desabamentos no Rio
Retirada de escombros ainda pode revelar novas vítimas fatais de desabamento no centro do Rio (Foto: Vladimir Platonow/ABr)
São Paulo - O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro confirmou na manhã desta sexta-feira que mais uma vítima fatal foi retirada dos escombros dos prédios que, na quarta-feira (25), desabaram no centro da cidade. Com isso, chega a sete o número de mortos no acidente. A corporação informa também que ainda há pelo menos 20 pessoas desaparecidas.
As equipes de socorro, comandadas pelo Grupamento de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros com o apoio da Defesa Civil e da Polícia Militar, intensificarão nesta sexta (27) o trabalho de busca por mais vítimas. Cães farejadores ajudam nos resgates. As dificuldades, segundo os bombeiros, são provocadas principalmente pela intensa e constante nuvem de poeira no local. A qualidade do ar é considerada péssima.
As suspeitas mais prováveis das causas do acidente, segundo os investigadores, recaem sobre as reformas que vinhem sindo conduzidas por uma empresa sediada em dos prédios que ruiu. As obras podem ter provocado um colapso na estrutura do edifício.
Segundo o Crea-RJ (Conselho Regional de Engenharia do Rio de Janeiro), a empresa teria contratado um escritório de engenharia para comandar as reformas. Os nomes da empresa e do escritório de engenharia ainda são desconhecidos. Segundo o presidente da Comissão de Análise e Prevenção de Acidentes do CREA-RJ, Luiz Antonio Cosenza, o órgão vai apurar o responsável técnico pela, que será imediatamente convocado a depor na comissão.
Com informações da Agência Brasil e TV Brasil

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

SAÚDE DE A A Z

A AMAMENTAÇÃO: COMO TUDO COMEÇA
Todo ser humano nasce com a capacidade de respirar pelo nariz. Além disso, também necessita se alimentar.
No bebê, o ato de se alimentar acontece através da sucção que é o primeiro estímulo responsável pelo crescimento facial. A mandíbula se desenvolverá devido ao estímulo que a sucção oferece. Quando o bebê suga, ele exercita toda sua musculatura orofacial. É esta mesma musculatura que, mais tarde, ele utilizará para articular os fonemas.
Com o passar dos meses, o bebê começará a se alimentar de sólidos. Então, inicia-se o processo de mastigação que é um ato aprendido após a erupção dos dentes decíduos. A mastigação é a função mais importante do sistema estomatognático e deve ser estimulada com o consumo de alimentos duros, secos e fibrosos. Por volta dos quatro anos de idade, a criança terá sua mastigação amadurecida. Isto significa que ela se realizará através de movimentos rotatórios de mandíbula, alternados e deve ser bilateral. Se a mastigação for unilateral, poderá causar assimetria facial e alteração oclusal.
Sendo assim, o desenvolvimento da musculatura facial ocorre em etapas, iniciando-se com a amamentação que é o primeiro estímulo. No caso da amamentação através da mamadeira, não há tanta força de sucção como no seio materno. Além disso, não ocorrerá o vedamento labial, o que estimula a respiração oral. Quanto à respiração, deve ser nasal, pois a oral causará alterações em todo o organismo. Algumas das conseqüências da respiração oral são: maxila estreita e palato ogival; mordida cruzada posterior; mau hálito; sono agitado; postura corporal incorreta.